O uve-se muito dizer que o criador do SUS foi o economista José Serra, atualmente candidato à prefeitura de São Paulo, durante o período – de 1998 a 2002 – em que foi ministro da Saúde do ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso... Não foi.

Hoje, 20 anos depois, o SUS, já saindo da adolescência, ainda está em processo de afirmação, uma vez que ainda não conseguiu estabelecer regras adequadas e permanentes de financiamento. O SUS atende a 80% da população brasileira, aproximadamente 150 milhões de pessoas, e consome 45% do total de gasto com saúde no país.

Nem poderia.

Busca maior racionalidade na utilização dos demais níveis assistenciais e tem produzido resultados positivos nos principais indicadores de saúde das populações assistidas pelas equipes de saúde da família. O investimento “per capita” no Brasil é menor que em países mais pobres, como: Argentina, Chile e Uruguai. Essa maioria do pessoal de saúde do SUS, ao longo das décadas e gerações, acabou por assemelhar esse testemunho e sentimento a uma resiliência a favor da população e das diretrizes legais do SUS, uma verdadeira militância que chamamos “militância SUS”: mais de 1 milhão de pessoas no território nacional, servidores públicos e também o pessoal terceirizado precarizado. É interessante lembrar que nos anos 1970 a ditadura criou o FAS, um fundo de apoio social, com captação diversa, para financiar a educação, saúde, alguma atividade no interior etc. Com a vinda da Família Real, chegaram também os … No Ceará em 10 anos foram fechados 45 hospitais conveniados com o SUS enquanto a população vem aumentando. No processo do Descobrimento do Brasil, o colonizador trouxe consigo muitas doenças e as transmitiu aos índios. A mortandade dos nativos foi, de certa forma, o primeiro problema de saúde pública brasileira enfrentado. Talvez o setor saúde seja um bom exemplo do que foi historicamente o Estado privatista brasileiro. o processo de descentralização de recursos e responsabilidades do nível federal para os níveis subnacionais de governo. Na primeira parte apresentam-se informações geográficas e sociais sobre o Brasil, visando situar o modelo de sistema de saúde brasileiro no contexto de um país que, além

A Saúde da Família como estratégia estruturante dos sistemas municipais de saúde tem provocado um importante movimento com o intuito de reordenar o modelo de atenção no SUS.

Uma recente auditoria do TCU na área de saúde concluiu que de 2010 a 2013 foram desativados 11.500 leitos do SUS.